Mais uma dica tardia

Tenho a estranha mania de só indicar livros e filmes depois que todo mundo já leu/assistiu.

Por exemplo, só ontem consegui ver Ensaio Sobre a Cegueira, filme dirigido pelo Fernando Meirelles e baseado em um romance do José Saramago, que, aliás, é um quase-blogueiro (explicações aqui).

Ler um livro do Saramago é um dos meus projetos para a aposentadoria. Já ouvi falar sobre todos eles, mas ainda não arranjei tempo para ler. Logo, peguei o filme na locadora pelo Meirelles, um dos meus diretores preferidos, e não pelo Saramago, que, diga-se de passagem, ouvi no Fórum Social Mundial e achei um chatolino de marca maior.

Tratemos do filme: é um soco no estômago.

Assim como Dogville, é uma metáfora da condição humana, que mostra o que nós temos de pior – como se a nossa sociedade fosse colocada diante de um espelho capaz de mostrar detalhes de nós mesmos que antes nos passavam despercebidos.

No filme de Meirelles, uma epidemia de cegueira atinge os habitantes de uma grande cidade. A princípio, os cegos são jogados em um sanatório abandonado e se obrigam a criar uma sociedade própria. Nem é preciso dizer que o pior acontece, pois os seres humanos são sempre seres humanos – mesmo cegos.

Moral da história: estamos tão acostumados à nossa própria cegueira, que não nos damos conta da nossa condição de cegos. A sociedade mostrada no filme não é a de cegos num sanatório; é a nossa.

Uma dica para as três pessoas que ainda não viram o filme: vejam.

Anúncios