o ministério da dilma: links pra (tentar) entender o que tá acontecendo

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Serão quatro anos interessantes.

Estamos (nós, da esquerda) putos com o novo ministério da Dilma, que favorece o que de pior e mais nojento existe na política nacional. Mas, por outro lado, a presidente está sob artilharia pesada de forças poderosas (o grande capital, seus partidos de aluguel e sua imprensa de estimação, sempre ávida por um osso e um cafuné na barriga) e precisando de uma manobra para acalmar os inimigos e fazê-los acreditar que está tudo bem. “Mantenha seus amigos perto e seus inimigos mais perto“, dizia Don Corleone, mestre de tantos políticos e de tantos empresários e barões da mídia.

O problema (um dos muitos) é que fazer tantas concessões aos inimigos no momento de crise é, como escreveu alguém, queimar a aldeia para salvar a aldeia. Talvez não seja possível enxotá-los do governo quando as coisas acalmarem. Estou sendo otimista com esse “talvez”. Claro que não será possível se livrar desse abraço de figueira.

Enquanto isso, vemos outras forças intestinas se movendo no PT, e que parecem sinalizar quatro anos de teatrinho: Dilma sacrificando-se no papel de bad cop, que janta com o empresariado e com os senhores de escravos rurais enquanto pisa nos ribeirinhos que prometeu defender, e Lula fazendo o papel do nice cop, que busca uma reaproximação com os movimentos sociais e com o coração da periferia ao mesmo tempo em que afaga os velhos amigos dos partidos fisiológicos, dizendo, em tom dramático: “Mas o que essa mulher tá fazendo? Não foi pra isso que eu a ungi, juro!”, de olho na eleição de 2018.

Tenho lido, via redes sociais, diversas análises sobre os impactos dessa nova Esplanada na direção do futuro governo. Há desde esquerdistas indignados com as escolhas até petistas-justificadores acusando de burrice e traição qualquer um que ouse questionar a composição do ministério, pois, para eles, a culpa é toda dos eleitores que escolheram um Congresso tão alheio ao projeto petista. Se é que alguém ainda sabe qual é o projeto petista.

Compartilho abaixo alguns desses links (não endosso tudo que está escrito nos textos, apenas indico vários argumentos para tentar contribuir com o debate). Boa leitura!

> ‘Ah, mas votei na Dilma para o Kassab ser ministro?’, por Lino Bocchini

> Novo ministério: Extra, resta uma ilusão?, por Jean Wyllys

> O Planalto de Kafka, por André Singer

> É a composição do Congresso, estúpido, por Luiz Eduardo Nascimento

> Dilma arrisca numa jogada que nem é de gênio e tampouco uma traição, por Renato Rovai

> Quando Dilma irá acalmar a esquerda?, por Breno Altman

>  Dilma e o ministério do segundo mandato, por Marcos Doniseti Vicente

> Novo ministério de Dilma só mudará, de fato, na área econômica, por Marcelo Moraes