Acordo

— Olha só, Seu Procurador, minha empresa compra políticos de diversos partidos, tira e coloca gente nas estruturas de investigação, indica pessoas pra cargos-chave na administração, sou recebido pelo presidente em pessoa pra negociar maracutaias e encomendar políticas… posso me livrar da punição se gravar alguns desses mafiosos com a boca na botija?

— Não, acho que vamos prender é o senhor mesmo…

Imagina que lôco.

Anúncios

pílulas de absurdol #30

Na sala de edição de uma rádio da Província, a TV mostra cena de execução no Rio de Janeiro. Um técnico diz para outro: “Que barbaridade, isso aí.”

O outro, que até então tava quieto, começa a vomitar uma torrente de frases em sequência:

“Esses vagabundo tem que matar mesmo.”

“Se a polícia não matasse ele, ele mataria mais gente ainda.”

“Cachorro comedor de ovelha, só matando.”

“Esses aí são que nem cara que bate em mulher: dizem que vão parar, mas não param.”

Não sei mais de quem ele tá falando.