Aldeia global

Cresci no interior de São Sebastião do Caí, onde era comum chamar pessoas pela fórmula “Nome + Local de Trabalho”. Assim, tínhamos o “João do Brasil”, o “Antônio do Marcírio”… meu próprio pai, que foi balconista de armazém quando solteiro, tinha quem o chamasse de “Zé da Comercial”.

A galera do Marketing parece estar querendo resgatar esse clima de proximidade e cumplicidade de aldeia onde todos se conhecem. Só hoje, recebi emails de spam do “Thiago do Catarse” e do “Ariel da 99” (a “Camila do LoveMondays” eu já marquei como spam há tempo).

Anúncios