pílulas de absurdol #017

Tá todo mundo criticando a galera que pediu intervenção militar só pelo viés da repressão.

Mas não esqueçamos que, além de matar e torturar pessoas, os militares que governaram o Brasil por 21 anos aprofundaram muitíssimo o abismo entre ricos e pobres (seu estatismo era usar o erário pra dar cheque em branco pra latifundiários, usineiros e industriais), subordinaram o país aos interesses comerciais americanos, agravaram o endividamento externo e nos jogaram num buraco negro inflacionário.

como disse a Betina Nilsson Biển, vamos brincar de lembrar?

máximas #015 – direitos humanos para humanos

Bolsonarinhos pelo Brasil afora adotaram há tempo o mantra “Direitos humanos defendem bandido”.

Mas “defendem” de quê? De ser preso? Não. De ser julgado? Não. Os direitos humanos não impedem a punição na forma da lei; apenas tentam (tentam) evitar a tortura, o assassinato, o estupro etc de suspeitos sob custódia do Estado. Logo, quem se autodenomina ~cidadão de bem~ e vocifera contra “osdireitosumano” não está clamando por Justiça, mas sim por VINGANÇA. Que é algo que decidimos deixar pra trás quando inventamos aquela utopia chamada Estado de direito.

É pedir demais querer que os Bolsonarinhos desse país aceitem os direitos humanos por altruísmo. Mas é razoável pedir-lhes que o façam por interesse próprio: numa sociedade com leis, ninguém está livre de ser eventualmente preso, mesmo que por engano. Se isso acontecer a mim ou a você, desejaremos ardentemente que os nossos carcereiros e interrogadores sejam veementes defensores dos princípios dos direitos humanos.

máximas #014

Maria Joana, certeira:

“Aos amigos malandros, serelepes e muito espertos que ainda insistem em ‘se diz de esquerda mas não vive sem o iPhone’: fim de ano é uma boa época para dar um belo exemplo de COERÊNCIA, seguindo essa lógica bisonha que lhes parece brilhante, e abrir mão de férias, décimo terceiro salário e mais um monte de conquistas desses trabalhadores socialistas grevistas mucho revolts”